Clientes e Parceiros

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa

 

Clima tenso, pessoas incomodadas, falta de visão, desorganização entre os fios dos equipamentos, improdutividade. A sala de reunião deve ser um ambiente focado nas melhorias para a empresa e não um centro de estresse.

Em muitas organizações, porém, esse espaço acaba se tornando um peso para a equipe, não pelas questões que são debatidas ali, mas sim pelo desconforto que afeta a todos de maneira silenciosa.

O mobiliário tem grande participação nisso. Quando não é devidamente orientado, ele gera efeitos desastrosos, que atrapalham o andamento das convenções tornando a experiência cansativa e improdutiva. Apesar de existirem móveis fabricados especialmente para as salas de reunião, é preciso estudar cada caso para prever soluções personalizadas.

Saiba mais…

1. Cores: O equilíbrio é sempre o melhor caminho. Cores claras ou neutras são apostas certas. Tonalidades quentes devem ser evitadas devido à tendência de provocarem a agitação das pessoas.

arquitetura-corporativa-sala-reuniao-cores

Projeto de Paramount Interiors | Fonte: Paramount Interiors.

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa

Somos apaixonados pelo tiro abaixo vamos apresenta materiais e técnicas para a construção de um estande para os mais exigentes padrões. Apresentamos a seguir algumas informações coletadas junto a inúmeros Estandes tecnicamente adequados existentes no país.Os estandes para tiro a bala podem ser de dois tipos: ao ar livre ou fechados. Atualmente, principalmente nas grande cidades, nota-se um número crescente de estandes fechados, cujas características descrevemos a seguir.

1. Número de Boxes (Raias):
O estandes pode conter um número variável de Boxes (raias) atendendo sempre a necessidade para que ele for empregado, provas, treinamento, instrução de tiro, etc.

   


2. Espaço interno do Boxes:
Deve haver o espaço suficiente dentro do Boxes, para que o atirador se sinta a vontade e permita a aproximação de um instrutor ou controller para o esclarecimento de qualquer dúvida ou auxílio no manuseio da arma.

3. Espaçamento entre alvos:
Deverá de forma regulamentar, atender a todas as modalidades que se pretenda praticar, sendo o mínimo possível um espaçamento livre lateral de 0,65 cm, e o ideal é que seja de 1,00 m.


4. Profundidade ou Comprimento do Estandes
A profundidade do estandes deverá atender também diretamente os interesses de sua utilização, ou seja, um mínimo necessário de 10m e um máximo de 50m. (permitindo instrução de tiro, provas básicas e segurança passiva quanto a eventuais ricochetes). Vejamos exemplos de algumas modalidades que podem ser praticadas dentro de um Estandes de tiro.
 

Distância

   Modalidades

10m

·  Rifles de ar comprimido

·  Pistola de ar comprimido

25m

·  Tiro rápido as Silhuetas (pistolas)

·  Revólver Fogo Central (UIT)

·  Pistola Standard

50m

·  Carabina Olímpica (Deitado)

·  Carabina 3x40 - 3 posições

·  Carabina Standard - 3 Posições

·  Pistola Livre - Pistolete

5. Tipos de Alvos:
Quanto ao tipo de alvos utilizados, dependem, novamente, dos objetivos de sua utilização:
Esportivamente, são utilizados 2 tipos de Alvos de papel (IPSC e UIT) e 2 tipos metálicos (gongos, pepper-poppers).

  

6. Acústica e Exaustão (estandes fechados)
O tratamento acústico, assim como a exaustão, são os pontos críticos do estandes, pois a saída de som, reverberação, inalação de gases e ter um visual enfumaçado, são problemas sérios e que devem ser evitados. Na acústica, temos que levar em conta, pela definição do espaço livre de cada box, seu material construtivo (madeira, aço e etc.) e a conseqüente amplitude e alcance das ondas sonoras antes de reverberarem.

Existem vários tipos de soluções, desde as mais simplórias que passam por panos e borrachas pendurados por todo lado(lateralmente, no teto e nos fundos do estandes) ou embalagens de ovos de papelão, objetivando quebrar as ondas sonoras ou mais adequadas com um tratamento primário das paredes laterais, retaguarda e teto (forro) do estandes com absorventes de som(espumas especiais, carpetes específicos), e um tratamento secundário, com isolantes acústicos (lã de rocha, lã de vidro) até a profundidade total do estandes (laterais e tetos).

   

Na exaustão, a entrada de ar (que pode ser condicionado para maior conforto do atirador) forçada por trás do atirador, em ângulo que permita um empuxo para a direção do para-balas, e tantas linhas de exaustão quanto possíveis (a primeira a poucos centímetros a frente dos boxes, e a última no fim do estandes), cuja potência deve ser calculada de modo a, em conjunto com o volume previsto na entrada de ar e o volume de ar total do estandes, ser eficaz na exaustão e manter uma pressão interna levemente negativa sem interferir de forma inadequada, inclusive, no fechamento e abertura da porta da ante-câmara para o estandes.

7. Dimensões totais do Estandes:
As dimensões ficarão a critério do proprietário. A área atrás dos boxes, deve prever, um espaço livre de um a dois metros e meio para colocação de um balcão de apoio ou armário, e circulação dos atiradores, monitor de estandes e eventuais acompanhantes.

8. Bancada de Apoio:
A bancada de apoio para arma e munição, interna ao box, deve ser de um material de fácil limpeza e que não danifique a arma (arranhões) em seu manuseio (fórmica de alta resistência é uma boa solução), e ter uma profundidade em torno de 60 a 80cm;

9. Iluminação:
A iluminação do estandes deve prever projeto abundante, em três zonas básicas: área de circulação atrás dos boxes, área interna ao box (cuja função é de anular a sombra causada pela anterior e iluminar bem a arma e suas miras) com o cuidado de que sua posição não ofusque o atirador, e área de tiro (resto do estandes).

10. Para-balas:
Pode ser feito de aço (o mais tradicional) inteiriço ou em escamas, em qualquer uma das hipóteses, em ângulo de 45° podendo ter o espaço interno preenchido com areia. O material para a construção do Para-balas, deverá ser feito em peças com densidade testada para não ser dura suficiente para facilitar o ricochete nem mole o que permite sua transfixação e rápida desintegração - alguns tipos de eucaliptos são excelentes.

Inúmero outros detalhes constituem a estrutura de um estandes de bom nível técnico tais como vidro especiais, controle elétrico de alvos, espaços de circulação para os espectadores, boutique, armeria, cofres, sala de recarga etc. ficando a critério do proprietário.

Origem do artigo a seguir

http://www.cbc.com.br/maiscbc/lojista/montarstand

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa

LUIZ FERNANDO OTERO CYSNE, 59

Background Cultural

  • Engenheiro Eletrônico, Universidade Mackenzie, 1968
  • Bacharel em Administração de Empresas, Universidade Mackenzie, 1972
  • Pós Graduação em Acústica, PITTC, Holland, 1974
  • Master Degree in Acoustics, Maryland University, 1976
  • Doctorate Degree in Physics (Ph.D.), Maryland University, 1979
  • Audio Engineering Grad, SynAudCon – Synergetics Audio Concepts, USA, 1980 

Cursos

  • Introdução de Centrais Controladas por Computador, Philips do Brasil, 1973
  • Curso Avançado de Marketing, Fundação Brasileira de Marketing, 1973
  • Improvement of Executives, Philips Telecommunicatie Industries, 1977
  • Sistemas Computadorizados Espaciais, Telesp, 1983
  • Public Telephone Switching Network management, Southern Bell, 1984
  • Diversos Workshops de Áudio, Synergetics Audio Concepts, 1987

 

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Que o mercado fonográfico e musical está em plena mudança, isto não é novidade. Se para alguns gigantes, produtores famosos e outras poucas mas poderosas empresas do setor isto pode ser alarmante. Para outros tantos, é a oportunidade certa. Artistas e bandas possuem mais liberdade para se apresentar e direcionarem suas carreias. Selos independentes possuem maior autonomia e opções para alavancarem seus projetos. E, outros tantos apaixonados pela música começam a ter a oportunidade de “viver o sonho”. E o estúdio musical é uma excelente escolha. Ainda mais com a democratização dos meios de produção (equipamentos) de alta qualidade.

musicos

Atentos a isso, decidimos esclarecer e orientar aqueles que estão pensando ou já montando um estúdio musical para explorá-lo comercialmente. Montar um estúdio musical ficou bem melhor e mais fácil hoje em dia e pode ser uma ótima dica de investimento se você tem aptidão para o setor e disposição em atuar no seguimento.

1. POR QUE TER UM ESTÚDIO?
Embora, em termos financeiros, montar um estúdio pode não sair tão barato quanto pode-se imaginar. É certo que, se bem planejado e gerenciado, é lucrativo. No entanto, é preciso pensar em termos de negócio antes de qualquer coisa. Pois, por exemplo, pode ser que 1 sala para quem tem um estúdio de ensaios “comum” não seja tão vantajoso economicamente. O que não vale dizer para quem tem um estúdio ultramoderno exclusivo de uma sala.

Portando, ao montar pense no seu objetivo pessoal e, consequentemente, do estúdio:
• Reduzir os custos pessoais seu e da sua banda por gravarem demais?
• Ter o seu espaço para usar quando quiser?
• Tirar uma graninha extra à noite e aos finais de semana?
• Viver disso?
• Sustentar uma família em breve?

2. QUE “TIPO” DE ESTÚDIO?
Uma vez sabendo o(s) motivo(s) pelo(s) qual (is) quer ter um estúdio, isto irá ajudá-lo nas próximas decisões. Se uma das razões é financeira (seja qual o valor envolvido) é necessário avaliar realmente a oportunidade. Ou seja, se eu investir e abrir o meu estúdio vai ter gente vindo, ensaiando e me pagando? Quem serão essas pessoas?

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
ProAcústica lança manual sobre os parâmetros e exigências da Norma de Desempenho na área de acústica 

A Associação Brasileira para Qualidade Acústica (ProAcústica) lançou o "Manual ProAcústica sobre a Norma de Desempenho", que tem como objetivo orientar os profissionais da construção civil sobre os parâmetros e exigências da NBR 15.575 no campo da acústica. A publicação foi criada pelos engenheiros Davi Akkerman, presidente da ProAcústica, e Juan Frias Pierrard, consultor técnico da entidade.

 

O manual tem cinco capítulos: instalações, equipamentos prediais e sistemas hidrossanitários, sistemas de pisos, sistemas de vedações verticais internas (paredes), sistemas de vedações verticais externas (fachadas) e sistemas de coberturas.

 

Para acessar o Manual, clique aqui.

Subcategorias

 Ergonomia

“A ergonomia, como técnica de prevenção de males ao ser humano, deveria ser usada no dia a dia, em nossas casas, escritório, no carro que dirigimos, a fim de se evitar futuros problemas de saúde, muitas vezes ignoradas as suas causas. Enfim, em cada tarefa que exija dispêndio de energia do ser humano, deveria ser visto com outros olhos, pensado uma forma mais confortável de realizá-lo”. HospMóveis
 

Para a criação de qualquer tipo de móvel existem medidas pré-estabelecidas para trazer conforto e funcionalidade. Essas medidas não são fixas, pois podem e devem variar conforme as necessidades específicas de cada pessoa. E é devido a isso que a melhor escolha são os móveis feitos sob medida.


 Medidas ergonômicas para a elaboração de um armário / um closet:

Partes de um closet. Fonte: Portal Clique Arquitetura.

 

  1. Prateleiras superiores – vão de 45 cm de altura (área de difícil alcance para a maioria das pessoas, ideal para guardar malas e objetos de uso esporádico);
  2. Araras para ternos, blazers e camisas – vão de 110 cm de altura;
  3. Araras para vestido e casacos longos – vão de 165 cm de altura;
  4. Calceiro – vão de 85 cm de altura;
  5. Gavetas para acessórios – 10 cm de altura (medida interna);
  6. Gavetas para roupas – 18 cm de altura (medida interna);
  7. Largura prateleiras: mínimo 50cm (para que caibam duas pilhas de roupas dobradas lado-a-lado);
  8. Bandejas deslizantes – vão de 15 cm entre elas;
  9. Profundidade – 60 cm. (comportar cabides largos para os ternos e casacos);
  10. Profundidade para armários com portas de correr – 66 cm (6 cm para os trilhos);
  11. Área de circulação em frente ao armário – 70 cm (espaço mínimo);
  12. Área livre em frente ao armário para melhor visualização das roupas – 100 cm;
  13. Área livre entre dois armários posicionados frente a frente – 120 cm (espaço mínimo para a circulação de 2 pessoas);
  14. Altura total do armário – altura do pé direito do cômodo.

 

As portas poderão corresponder às divisões internas, quando seguir um padrão, ou poderão ser portas maiores. Exemplo: armário com 2m de extensão = 5 portas de 50cm cada ou 2 portas de 1m cada.