Ciência Acústica

A acústica como ciência é a “ciência do som”. Ela trata de todos os aspectos da produção, transmissão, recepção e percepção do som. O termo “acústica” tem sua origem em termos similares na língua grega.

A acústica como ciência do som pode ser subdividida de diferentes formas.

Uma possível divisão é aquela por áreas de conhecimento, conforme mostra a figura abaixo. No Brasil o ensino da acústica estava fragmentado e existia apenas em nível de pós-graduação. Mas desde 2009 existe também um Curso de Graduação em Engenharia Acústica que busca formar profissionais com conhecimentos em todas as áreas da acústica, com exceção de acústica submarina.

A área da Física que estuda o som é chamada de Acústica. Para entende-la melhor precisamos relembrar alguns conceitos:

Onda: é a variação periódica de uma grandeza física. Uma onda é composta por:

Crista: Pontos de maior intensidade, o topo da onda.
Vale: Pontos de menor intensidade da onda.
Nível Médio: Pontos entre o as Cristas e os Vales.

A distância entre a crista ou o vale e o nível médio é chamada amplitude (y). Já a distância entre duas cristas consecutivas ou dois vales consecutivos é chamada de comprimento de onda (λ).

Onde:

λ – Comprimento
y - Amplitude

O tempo que uma oscilação leva para se repetir é chamado período (T), medido em segundos(s). Afrequência (f) significa quantas vezes uma oscilação se repete por unidade de tempo, medida em Hertz (Hz). Dessa forma:

f = 1/t

O Som é uma onda mecânica que possui a intensidade e frequência necessárias para ser percebida pelo ser humano. Entendemos como onda mecânica uma onda que precisa de meios materiais, como o ar ou o solo, para se propagar. As frequências audíveis pelo ouvido humano ficam entre 16 Hz e 20000Hz (20kHz). Dentro desta faixa a encontram-se a voz humana, instrumentos, musicais, alto-falantes, etc.

Abaixo de 16Hz temos os infra-sons, produzidos por vibrações da água em grandes reservatórios, batidas do coração, etc.

Acima de 20kHz estão os ultra-sons emitidos por alguns animais e insetos (morcegos, grilos, gafanhotos...), sonares, aparelhos médicos e industriais.

Os dispositivos que produzem ondas sonoras são chamados de fontes sonoras. Entre os que mais se destacam estão aqueles compostos por:

  • Cordas vibrantes como violão o  piano, as cordas vocais etc.
  • Tubos sonoros como órgão flauta, clarineta.
  • Membranas e placas vibrantes tal como o tambor
  • Hastes vibrantes como o diapasão, triangulo, etc.

Podemos caracterizar os sons a partir de sua intensidade, altura ou timbre.

A intensidade está ligada à quantidade de energia transportada pelo som. Desta forma, conforme a intensidade do som dizemos que ele é mais forte (a onda possui maior amplitude) ou mais fraca (a onda possui menor amplitude).

A altura está relacionada com a freqüência do som. Assim distinguimos os sons mais altos como os de maior frequência (mais agudos) e os mais baixos como os de menor frequência (mais graves). As notas musicais buscam agrupar diferentes freqüências sonoras produzidas por um instrumento.

O timbre corresponde ao conjunto de ondas sonoras que formam um som. O timbre permite diferenciar diferentes fontes sonoras, por exemplo é fácil perceber que o som de uma guitarra e de uma flauta são completamente diferentes.

A velocidade do som no ar é de 340 m/s. A fórmula que relaciona velocidade, amplitude e frequência sonora é:

V = λ . f

Medicoes e Laudos Acusticos

Ao longo das últimas décadas, houve um aumento da preocupação com os efeitos nocivos causados pelos altos níveis de intensidade sonora nos meios urbanos, afetando a saúde de trabalhadores em diversos setores da indústria e do comércio. Para estabelecer parâmetros técnicos de averiguação, muitos estudos foram realizados para estipular quais são os níveis aceitáveis de ruídos, tanto para conforto quanto para saúde, em diversas situações distintas. A partir desses estudos, surgiram normas técnicas e, com elas, os estados e municípios puderam elaborar a sua própria legislação. As principais normas e leis atualmente em vigor são:

Laudos Acútiscos

Ambiental (Vizinhança)

Fazemos medição acústica (laudo de ruído) e mapeamentos sonoros para indústrias, casas noturnas, salões de eventos, igrejas e estabelecimentos comerciais.

  • Laudos Técnicos de medição de ruído aceitos por todos os órgãos fiscalizadores;
  • Laudo de Medição / avaliação e análise de ruído em geral, para comprovação, adequação ou liberação em Prefeituras Municipais (SEMASA / PSIU/ etc.), CETESB, e Ministério Público;
  • Mapeamento sonoro para ISO 14000;
  • Laudo acústico pericial (judicial ou particular) com Parecer Técnico e diagnóstico de adequação.

Trabalhista

NORMAS REGULAMENTADORAS (NR 15; 17) – PORTARIA 3.214 (MINISTÉRIO DO TRABALHO)

Nossos trabalhos são direcionados para atender, com todos os critérios exigidos, às Normas Técnicas da ABNT, Portarias Federais e Legislações Municipais:

NBR 10.151 – REVISÃO 2000 (Avaliação do Ruído em Áreas
Habitadas, Visando o Conforto da Comunidade)
NBR 10.152 (Níveis de Ruído Para Conforto Acústico)
NBR 12.179 (Tratamento Acústico Em Recintos Fechados)
NBR 15.575 (Norma de Desempenho Acústico das Edificações)
Resolução CONAMA 01 (IBAMA)
Leis Municipais – onde houver